Buscar
  • Marcelo Apovian

Performance e o Medo

Na semana passada fiz um Live onde falei sobre Performance. Ao final tivemos perguntas para o público.

Uma das participantes queria fazer uma mudança de carreira, tinha 30 anos, formada em Biologia e buscava migrar para outra área dentro do escopo da saúde. Segundo ela, estava tendo dificuldade porque neste segmento é muito por Q.I., o famoso Quem Indica e que com 30 anos já estava velha. Me perguntou se isso era uma realidade do mercado.

Faço uma pausa na Live para comentar sobre o medo.

O medo é a melhor ferramenta para colocar freio em nossos impulsos. Sem ele saltaríamos de paraquedas e esqueceríamos de abrir o velame, afinal, é na queda livre o momento de maior adrenalina. Mas quando erramos na dose e não controlamos esse impulso, o medo impede que avancemos. Ficamos presos na porta do avião. O medo gera insegurança, ansiedade, descontrole emocional e bloqueia nossas metas.

Não é de hoje que temos esse sentimento, há milhões de anos atrás, nossos ancestrais viviam nas cavernas porque tinham medo de serem comidos pelos predadores. Saiam para caçar durante o dia e voltavam a se esconder ao entardecer. Essa herança é hereditária e vem sendo passada de pai para filho, de geração por geração.

Quando estamos com medo nos expressamos de maneira firme – Lembra da última barata que apareceu na sua casa? E aquele cachorro bravo que latiu perto de você? É essa comunicação que é absorvida pelos nossos filhos, e eles levam para os netos.


Por isso devemos treinar para sermos felizes, ainda mais em tempos de pandemia, onde somos orientados a ficarmos em casa, que é a melhor versão das antigas cavernas. Controlando nosso medo, seremos mais felizes!


Voltando ao caso da Live, meu feedback para a pessoa foi – perca o medo, remova as barreiras mentais, não crie justificativas externas para não mudar sua carreira e buscar algo que te faça verdadeiramente feliz, só depende de você!


O medo está impedindo-a de mudar, porque qualquer mudança gera insegurança e ansiedade. Pergunto para você: Como uma profissional de 30 anos de idade, que se formou não faz muito tempo e tem pelo menos 40 anos de vida profissional se rotula como velha?

Essas amarras mentais são argumentos para justificar o medo de arriscar uma nova carreira.

Claro que mudar de emprego ou empreender exige planejamento, deve ser feito de maneira estruturada, estudar as possibilidades, se preparar, falar com as pessoas certas, mas com 30 anos de idade, o que ela precisa é estar feliz. E a felicidade não combina com medo.



By the way: Na foto sou eu iniciando um novo esporte. Com 47 anos quis aprender kite-surf e mesmo com professor ao meu lado demorei mais do que gostaria para aprender, de início o medo me dominou, mas depois de 10 horas sai velejando e amei a experiência. É só dominar o medo que o prazer e a felicidade aparecem, não é não?


74 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

marcelo.apovian@signium.com.br

11 3019 0250

Rua Gomes de Carvalho, 1629

9º andar - São Paulo, SP

© 2020 Marcelo Apovian. - Todos Os Direitos Reservados 

Design e Criação: Giovani Castilho

  • instagram
  • linkedin
  • signium (1)