Buscar
  • Marcelo Apovian

Inteligência Estrutural



Estou com 47 anos, mas ainda me sinto um jovem em formação, aquele rapaz saindo da adolescência com fome de transformar o mundo. Por outro lado, já vivi muito, uma vida muito bem vivida! Conheço grande parte do mundo, tive quase todos os bens materiais que uma pessoa da minha idade pode ter, fui atleta olímpico, fui paraquedista, quase perdi a perna em um acidente que me custou 4 anos de tratamento e depois voltei correndo maratona, sou mergulhador, tenho uma família incrível e tenho um milhão de amigos.

Para vocês entenderem o que estou dizendo, com 15 anos ganhei meu primeiro carro, com 18 um Nissan 300ZX e com 20 um Porsche 911. Eu era o cara! Festas, amigos, casas, carros, viagens, poder e glamour. Para quem olha pela janela do Instagram, o mundo perfeito.

Mas eu nunca fui um playboy, nasci de 7 meses, sou inquieto desde 1972. Não quis trabalhar com meu pai, que mais tarde perderia todo o dinheiro. Fui o rebelde que escutava pouco e achava que sabia tudo. Sempre andei pelas minhas próprias pernas, desde o início. Por isso posso afirmar com segurança, a vida me bateu. Muito e duro! Cai e levantei por diversas vezes - financeiramente, emocionalmente, mentalmente e fisicamente.

É assunto para um livro, que uma pequena parte foi contada no livro Operação Portuga, escrito por Sérgio Xavier e lançado em 2010.

Por isso, aos 47 anos, com olhar curioso de um jovem, sou o exemplo vivo da tradução do termo Inteligência Emocional de Daniel Goleman.

Mas também aprendi que não devemos controlar nossas emoções, elas precisam ser vividas e usar delas para catapultar nosso crescimento. Sem instabilidade ou desconforto, não tem jogo emocionante. Ponto!! Mas a inteligência emocional pode criar uma miopia em quem recusa a viver a instabilidade. Por isso, minha estratégia foi adaptar o nome para Inteligência Estrutural. Somente com uma boa estrutura, conseguimos ter mais sucesso. E para melhorar nossa estrutura mental, física e psicológica temos que trabalhar em 4 pilares, apelidados por mim de MESA:

  • Mindfulness

  • Esporte

  • Sono

  • Alimentação

Cada um deles tem seu peso e quanto mais equilíbrio você tiver entre eles, maior sua possibilidade de alcançar a felicidade.

MESA são significa somente um móvel, mas sim o poder do equilíbrio, da solidez em se apoiar e saber que não vai cair. Enfim, isso é assunto para outro artigo.

178 visualizações

marcelo.apovian@signium.com.br

11 3019 0250

Rua Gomes de Carvalho, 1629

9º andar - São Paulo, SP

© 2020 Marcelo Apovian. - Todos Os Direitos Reservados 

Design e Criação: Giovani Castilho

  • instagram
  • linkedin
  • signium (1)